Sejam mães e pais

Erros que os pais cometem quando brincamos com nossos filhos

Erros que os pais cometem quando brincamos com nossos filhos


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

O jogo nos dá a oportunidade de acompanhar nossos filhos no desenvolvimento da comunicação e da linguagem. Por meio da brincadeira, as crianças aprendem a interagir conosco e com outras pessoas, e o que é mais fascinante nesse processo é que ele ocorre incidentalmente, ou seja, naturalmente. Sem que percebam, estão praticando habilidades motoras, linguísticas, cognitivas, sensoriais e, enquanto isso, se divertem. Às vezes, gente mais velha, atrapalhamos esse processo. Esses são os erros que os pais cometem quando brincamos com nossos filhos.

Quando os pais interagem com os nossos filhos, os acompanhamos neste processo de aprendizagem múltipla, mas nem sempre o fazemos da forma mais eficiente para que se apropriem desse conhecimento. Às vezes, adotamos diferentes 'papéis' que o impedem. Vamos saber quais são os papéis que podemos desempenhar ao brincar com o nosso filho e que limitam a interação com ele.

- Papel de artista ou palhaço
Queremos captar a sua atenção de forma permanente, fazemos todo o possível para torná-lo divertido e acabamos por ser 'protagonistas' e a criança um mero 'espectador' que não encontra lugar para participar. A gente tem a palavra o tempo todo, a criança escuta e vê a nossa atuação, mas não pode ser incluída no jogo.

- Papel do professor
Queremos ensinar o tempo todo, dizemos à criança o que fazer, fazemos perguntas repetidas vezes, testamos seus conhecimentos em vez de brincar com ela. Freqüentemente perguntamos: 'Qual é a cor?', 'Como é chamada?' ou 'Você sabe, me diga o que é?' Diante dessa atitude, muitas vezes a criança acaba frustrada, oprimida ou entediada e abandona a interação conosco.

- Papel de detetive ou observador
Não temos certeza de como nos incluir em suas brincadeiras, por isso olhamos e comentamos de fora o que a criança faz ou diz, mas não nos incluímos totalmente no jogo. É difícil para nós encontrarmos o nosso papel no jogo, como se não pudéssemos 'conectar' naquele momento, sendo difícil entrar em sintonia e interação.

A boa notícia é que podemos encontrar um papel que acompanhe nossos filhos e nos permita ter liberdade de convívio, facilitando a conexão e a comunicação entre nós. Este papel é do 'Companheiro Sensível'. Quando assumimos este papel usamos a Fórmula 3 A para encorajar nosso filho a interagir e se comunicar. Nós reconhecemos você e fazemos com que se sinta especial ao:

- Aceite que você toma a iniciativa
Deixamos que a própria criança nos mostre aonde quer ir e com o que quer brincar; Que seja ele quem inicia a conversa e faz um comentário. Para deixar uma criança assumir a liderança, devemos ser pacientes e esperar. Dar-lhe tempo e não interrompê-lo é a chave para que ele tome a iniciativa.

- Adapte-se para 'compartilhar o momento'
Tudo o que precisamos fazer é relaxar e aproveitar o momento presente com nosso filho. Deixar o celular e as interrupções um pouco para que nossa imaginação possa fluir, voltando a ser criança por um tempo com nosso filho. Vamos mostrar aos nossos filhos que os ouvimos: imitando o que fazem ou dizem ou interpretando o que dizem, ou seja, confirmando a mensagem que a criança nos passa e comentando.

- Adicione linguagem e experiência
Podemos comentar o que está acontecendo para que a criança perceba que estamos interessados ​​nela e naquele momento de brincadeira ou atividade que estamos fazendo juntos. Podemos adicionar linguagem e experiência em muitos momentos! Quando estamos com eles e descrevemos o que está acontecendo, ensinamos as palavras de que precisam para entender e usar a linguagem. Os momentos podem ser muitos: enquanto guardamos os brinquedos, cozinhamos juntos, o momento do banho, quando arrumamos a mesa. Cada momento do dia a dia pode ser usado para interagir e adicionar linguagem e experiência.

Nossa atenção incondicional e disposição de responder com amor às tentativas de comunicação de nosso filho o ajudam a ganhar autoconfiança, satisfação e desejo de interagir com outras pessoas. Ser um parceiro sensível durante a interação promoverá uma comunicação fluente para frente e para trás e nos colocará em sintonia com os sentimentos e pensamentos de nossos filhos.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Erros que os pais cometem quando brincamos com nossos filhos, na categoria Ser mães e pais no local.


Vídeo: 10 erros que os pais cometem na vida dos filhos. (Agosto 2022).