Valores

Musicoterapia para mãe e bebê

Musicoterapia para mãe e bebê


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Quando um bebê, ainda no útero da mãe, ouve clássicos como Mozart, Bach e Vivaldi, sua frequência cardíaca diminui, observaram muitos especialistas. O o ritmo dessas canções induz estados de serenidade. Rosa Elena Valderrama, ex-reitora do Colégio Peruano de Obstetras, revelou que, segundo sua experiência, a música pode ajudar mulheres grávidas a superar seus problemas e levar a um bebê saudável.

A musicoterapia, segundo ela, enriquece o desenvolvimento físico, emocional e intelectual do bebê. Também é usado em crianças hiperativas, deprimidas e agressivas e é muito útil no tratamento de crianças autistas para ajudá-las a superar seu isolamento e modificar padrões de comportamento; e crianças com deficiência mental também podem se beneficiar da musicoterapia.

Muitas mulheres, durante a gravidez, podem sofrer uma carga emocional negativa que se traduz em desconforto, insegurança própria ou do meio ambiente, medo, frustração ou sensação de fracasso. Inadvertidamente, estarão transmitindo tudo isso ao feto, transformando-o em um bebê medroso ou inseguro. Nestes casos, a musicoterapia desempenha um papel importante: estimular uma conexão mais profunda entre mãe e filhoe proporcione-lhes paz de espírito e autocontrole.

O bebê que ouviu música de forma ordenada e sequencial durante a gravidez recebe melhor amamentação e outros alimentos, dorme mais e chora menos, e também, pois criou vínculos afetivos positivos com a mãe por meio da música. Antes de nascer, o bebê é capaz de ouvir, sentir ou aprender, sonhar, rir, memorizar e reagir com seus movimentos.

Também ele percebe todos os sons que vêm a ele através de sua mãe, batimentos cardíacos, respiração, circulação, líquido digestivo, fetal e amniótico. A música promove a inteligência musical e tem um efeito relaxante. A formação da personalidade começa a se desenvolver em torno de belas melodias, estimulando a criatividade, concentração e coordenação do feto.

A musicoterapia traz benefícios não só para o bebê, mas também para a gestante. A estimulação auditiva pré-natal proporciona maior relaxamento para a mulher durante o trabalho de parto, reduzindo seu nível de ansiedade, proporcionando maior autocontrole sobre a dor e consciência das sensações físicas. Ao reduza o estresse no parto também ajudará o bebê a nascer envolto com mais serenidade. A musicoterapia regula o humor, anima e suaviza estados de tensão, estresse e depressão. Também melhora o aprendizado, a coordenação e a resistência física.

A musicoterapia é uma ferramenta fundamental para trabalhar o bebê durante a gestação. Alguns obstetras usam essa terapia para mulheres grávidas individualmente, em grupo ou como casal. Como regra geral, é o musicoterapeuta que se encarrega de orientar e treinar a mulher, para que, entre outras coisas, ela possa desfrutar plenamente da gravidez, participando, ouvindo e expressando as sensações físicas que a música causa.

A musicoterapia também pode ser realizada em conjunto com o obstetra da própria mulher. Para isso, é necessário um atendimento semanal de aproximadamente uma hora. A partir do quarto mês de gestação, o bebê já tem seu aparelho auditivo desenvolvido. Este é o melhor momento para iniciar a terapia. Em casa, a futura mãe também pode continuar com a terapia. Comece escolhendo uma música serena e melodiosa. As canções de Mozart, especialmente, são as mais recomendadas. Ouça-os pacientemente, e então você pode cante para o bebê. Isso irá promover o vínculo entre mãe e bebê.

Fontes consultadas: -Psicantropía.com - Enferalicante.org - Baby-Shopping

Você pode ler mais artigos semelhantes a Musicoterapia para mãe e bebê, na categoria Música no site.


Vídeo: Musicoterapia para Bebés (Dezembro 2022).